Cereja do Topo, por Lorena Gonzalez.

Um engano de proporções continentais
24 de agosto de 2011 às 2:04 PM | por Lorena Gonzalez.
Uma redação, de fato, muito boa!


Aquele era um desses dias que amanhecem parecendo comuns. Você acorda com o barulho chato do seu despertador, faz todo o seu ritual diário, trabalha o dia inteiro, volta pra casa e se joga no sofá sem vontade de sair pra viver. A não ser que você descubra que vai casar.
Foi exatamente isso que aconteceu com Laura. Ela se viu obrigada a se deslocar do sofá para o quarto pra procurar o celular que seu namorado tinha esquecido. Precisou de muito esforço, mas encontrou em baixo do colchão. Não teria dado atenção nenhuma pro aparelho se a tela não tivesse acendido mostrando uma mensagem: "parabéns, cara! Já contou pra ela? Tô na torcida!"
Ele iria pedir a mão dela! Sem perder tempo, Laura mandou um email contando a novidade pra todas as suas amigas, reservou o melhor salão de festas da cidade, marcou um horário pra ir naquela loja de noivas. Estava radiante, quando seu namorado chegou não conseguiu se segurar, disse que já sabia a novidade.
-Ah, que ótimo, fiquei com medo que você não aceitasse... Mas eu estou muito feliz por ir pra essa missão na África!

4 comentários


Pra não dizer que não falei de Eduardo e Mônica
11 de agosto de 2011 às 7:42 PM | por Lorena Gonzalez.
-Tenho tanta saudade de soltar bolinha de sabão.
-O que?
-Você não lembra? Foi o que você me disse aquele dia no parque...
-Ah é, tinha uma menininha soltando bolha de sabão...
-E você disse que sentia falta disso.
-É, mas por que você ta falando disso agora?
-Porque eu trouxe uma coisa pra você da Disney.
-Uma caneta da Sininho! Que linda...
-É, eu pensei em trazer a da pequena sereia, mas aí eu lembrei que você contou que não gostava daquele desenho que a pequena sereia virava bolha de sabão e achei melhor a da Sininho.
-Mas o que tem a ver?
-Vou te mostrar... Essa não é uma caneta comum!
-Ah, ela solta bolha de sabão!!!!
-E aí, gostou?
-Eu adorei, mas... A gente precisa conversar.
-Ta, pode falar.
-Eu acho melhor a gente terminar... Eu gosto muito de você, mas talvez seja melhor sermos só amigos.
-Mas por que? Eu achei que tava tudo bem com a gente...
-E tava tudo ótimo! Acontece que não ta funcionando...
-É por causa da minha idade? Porque se for, eu acho que não tem nada a ver a gente terminar...
-Mas é claro que tem! Você fez quinze anos e eu to indo pra faculdade...
-E daí? Não faz diferença nenhuma!
-Mas é claro que faz! Você tava indo pra Disney e comprando pra mim uma caneta que solta bolha de sabão enquanto eu tava indo na festa que os meus veteranos fazem pra receber os calouros!
-Bom, eu não me importo...
-Mas eu me importo! Eu me importo porque com você eu só converso sobre novela, videogame e professores... Porque você vai nas festas de quinze anos e fica bêbado com aqueles drinques que são só suco e gelo seco! Porque eu quero poder sair, eu quero alguém pra conversar, eu quero alguém que entenda...
-Não, peraí, você que não ta entendendo! Nós somos Eduardo e Mônica!
-Eduardo e Mônica é uma música! Eles não existem de verdade!
-Aí que você se engana, existem muitos Eduardos e Mônicas e nós somos um deles!
-Casais como esse não durariam uma semana no mundo real...
-Nós duramos três meses. Eu quero crescer do seu lado, assim como eu venho fazendo a três meses...
Ela abaixou a cabeça derrotada. Não queria concordar e aceitar, mas não tinha forças pra continuar discutindo. Talvez não quisesse continuar discutindo também... Rodava a caneta nas mãos, sem ter coragem de olhar pra ele. Ele a puxou para perto obrigando-a a deitar em seu peito. Era um dia lindo, o sol estava se pondo e ela não conseguia pensar em nenhum outro lugar no mundo onde quisesse estar nesse momento.





4 comentários

Posts antigos. | Posts mais novos.
Lorena.

Paranaense, estudante de moda, escorpiana, chocólatra, impaciente, curiosa, desorganizada, ansiosa. Eu tenho um macaco azul e um sapo de aparelho, nunca tive amigos imaginários e no dia da Toalha eu levo a minha para todos os lugares. Dou risada em filme de terror, adoro cama-elástica, algodão doce e maçã do amor, acho divertido subir em árvores. Adoro escrever... Não me atreveria jamais a escrever um poema, sei que meu lugar é a prosa, o verso eu deixo pra quem quiser.

Sobre o blog.

"Escrevo por não ter nada a fazer no mundo: sobrei e não há lugar pra mim na terra dos homens. Escrevo porque sou um desesperado e estou cansado, não suporto mais a rotina de me ser e se não fosse a sempre novidade que é escrever, eu me morreria simbolicamente todos os dias. Mas preparado estou para sair discretamente pela saída da porta dos fundos. Experimentei quase tudo, inclusive a paixão e o seu desespero. E agora só quereria ter o que eu tivesse sido e não fui."




Agradecimentos.

Skin:Júlia Duarte.
Basecode:Jaja
Best view:Google Chrome